O conceito de UX — User Experience, ou Experiência do Usuário — tem recebido cada vez mais atenção das empresas, visto que a alta competitividade do mercado exige que as organizações busquem soluções para satisfazer o público-alvo e crie diferenciais para se destacar dos concorrentes. Nesse sentido, acompanhar as tendências de UX para os próximos períodos é crucial para conquistar os clientes e melhorar a imagem do negócio no mercado.

Quer aproveitar para saber quais novidades podem ser esperadas nesses aspectos? É só continuar com a leitura, pois falaremos sobre elas e o futuro a seguir!

1. Skeumorfismo x Flat design

O Skeumorfismo é uma linha do design que busca aproveitar de elementos existentes no mundo real para se referir a pontos em uma interface. Bons exemplos disso são o ícone de lixeira para onde vão os arquivos apagados, o símbolo do disquete usado para salvar arquivos, e a lupa que é usada quando se deseja fazer uma pesquisa.

Por outro lado, o design flat já busca oferecer uma experiência mais minimalista para os usuários, retirando quaisquer distrações, tornando o visual mais “enxuto” e focando no desempenho otimizado com uma interface mais limpa. Aqui, existe aquela ideia de que menos é mais. Foi o que aconteceu quando o windows 8 foi lançado — totalmente diferente da versão anterior e com a atualização do iOS 7.

Isso pode significar que o flat design seja uma tendência para os próximos períodos, mas nada impede que haja uma mistura entre os dois padrões para criar soluções mais adequadas e que proporcionam experiências mais agradáveis para os usuários.

2. Profissionais especializados em Customer Experience (CE)

Até pouco tempo atrás, os profissionais mais próximos da experiência dos usuários estavam ligados ao marketing, pós vendas e suporte técnico. Isso faz com que as informações e o conhecimento fique espalhado entre pessoas e áreas, o que dificulta a melhoria no relacionamento com os clientes — ainda que sejam pessoas altamente qualificadas para lidar com essas questões.

Além disso, por melhor que o processo de venda (de ponta a ponta) seja planejado, sempre existem alguns aspectos e riscos de haver desconforto, gerando insatisfação. Essas lacunas devem ser identificadas e monitoradas pelos profissionais que são especializados na experiência do cliente.

Assim, os usuários podem receber o devido suporte e, quando as falhas persistires, serão esses especialistas que farão a análise dos dados e a identificação de quais ações precisam ser tomadas para que o atendimento seja aprimorado.

3. Melhorias na interface

Temos duas, veja:

3.1. Card

O card funciona como um ponto de entrada para o detalhamento de informações. Ele permite que um produto seja apresentado com uma quantidade maior de dados, mas apresentados em pequenos grupos, o que ajuda a melhorar a leitura e permite que os usuários tenham mais opções para personalizar, classificar e filtrar o conteúdo disponível.

3.2. Parallax

É provável que o parallax também seja mais visto. A proposta é deixar a interface ainda mais dinâmica e atraente para os usuários e o objetivo é melhorar a experiência na web. Quando bem implementado, cria um efeito animado que pode impressionar o visitante e, principalmente, direcionar a atenção para aquilo que se deseja destacar.

4. Microinterações: A interação dentro da interação

Essa também é uma das tendências de UX que não é bem uma novidade, mas se espera que seja ainda mais utilizada. As microinterações são interações menores responsáveis por resolver situações com uma tarefa simples.

Bons exemplos práticos disso envolvem conectar um aparelho na rede wi-fi, fazer login em um site e curtir uma postagem em uma rede social. A ideia por trás delas é tornar as interfaces mais práticas, atrativas e humanizadas — o que pode ser um ponto fundamental no impulsionamento do crescimento de um site ou blog, por exemplo.

Sendo assim, podemos esperar ver cada vez mais:

  • ícones de loading animados, visando entreter o usuário enquanto o carregamento não finaliza;
  • imagens que contam uma história para o usuário;
  • diferentes ações para toques distintos em smartphone — como os lançamentos, que já distinguem a pressão usada no touch.

Também pode-se esperar interações ainda menores dentro de outras interações. Usando o exemplo do wi-fi acima, as interações menores estão envolvidas com o uso de telas rápidas para ativar ou desativar o recurso.

5. Mudanças nas cores e tipografias

O uso de cores fortes e mais vibrantes também pode ser considerado tendência. Nesse sentido, busca-se exibir tons mais ricos vibrantes e, no caso de monitores, tablets e smartphones, fornecer uma visão mais brilhante, conquistando a atenção dos usuários.

A tipografia também tem se desenvolvido para que se torne a identidade de um site (em tom e estilo), criando personalidade e transmitindo emoções para os usuários. Assim, os profissionais de user experience investem ainda mais em imagens originais, fontes mais bonitas, dinâmicas e únicas — além de maiores.

6. Preparação para a realidade virtual

A realidade virtual (VR) está se fazendo cada vez mais presente. Pode-se perceber como ela é promissora pelo sucesso que os óculos de realidade virtual — e o seu uso em jogos — tem feito ultimamente.

Entretanto, uma das ideias da VR é ir além de uma experiência imersiva: é sobre expandir a realidade vivida. Nesse sentido, ainda existem alguns questionamentos, como:

  • o que as pessoas esperam da realidade virtual?
  • Até onde as barreiras podem ser levadas?
  • As pessoas estão preparadas para fazer parte de uma realidade expandida?

Devido a isso, pode ser que a VR ainda não seja explorada em todo potencial no curto prazo e leve um pouco mais de tempo para que essas experiências causem um impacto significativo na tecnologia que usamos atualmente — visto que ainda é preciso decidir o que deve, ou não, ser desenvolvido para a realidade virtual.

Essas são apenas algumas das tendências de UX que podemos esperar para o mercado — sejam para curto, médio ou longo prazo — e que podem transformar a forma como as empresas interagem e se relacionam com seu público. Vale ressaltar o peso que essas experiências possuem para a satisfação e fidelização dos clientes e a importância de monitorar as novidades que podem surgir e trazer excelentes benefícios.

Gostou do nosso post de hoje? Então compartilhe em suas redes sociais e deixe que mais pessoas conheçam as tendências de UX para o mercado!

Escreva um comentário

CADASTRE-SE PARA FICAR POR
DENTRO DAS NOVIDADES DA POSITIVO.

Share This