Se você acompanha as tendências em tecnologia, já está acostumado com termos como: Business Intelligence, Internet das Coisas, Indústria 4.0 e Big Data. Porém, o que nem todos sabem é que eles não são conceitos distantes, daqueles que só vemos em uma ficção científica. A transformação digital está acontecendo exatamente agora, e sua empresa não pode ficar de fora dessa revolução.

Então, como colocá-la em prática dentro das organizações? Se você também tem essa dúvida, este post foi feito para ajudá-lo. Nós vamos mostrar as etapas que as companhias devem seguir para remodelar seus processos e se adequar à nova realidade.

O que é transformação digital?

Ao contrário do que as pessoas pensam, a transformação digital não é o simples processo de agregar novas tecnologias. Trata-se de uma mudança realmente significativa, uma disrupção em relação à operação das empresas da forma como a conhecemos hoje.

A transformação digital envolve uma mudança estrutural nas organizações, na qual a tecnologia tem um papel fundamental. Sua principal consequência será a digitalização — um mercado e sociedade marcados pela desmaterialização, desmonetização e democratização do uso da tecnologia.

Qual é a importância da transformação digital?

O primeiro ponto a considerar é: não dá para esperar! As empresas que ficarem aguardando esse processo acontecer, como espectadoras, não encontrarão mais espaço no mercado quando acordarem para essa realidade.

Por isso, este é o momento de quebrar algumas barreiras culturais que, ainda, impedem a empresa de mergulhar nessa revolução. É preciso tomar medidas práticas para fazê-la acontecer dentro das organizações.

Como fazer a transformação digital acontecer nas empresas?

Entendida essa importância, vamos às etapas para aderir a essa revolução? Afinal, não adianta ficar falando do conceito se não soubermos como colocá-lo em prática nas organizações. Então:

1. Repense o negócio

Como a mudança é estrutural, e não apenas operacional, redefinir a estratégia da companhia para o mundo digital é o primeiro passo.

Analise o mercado e identifique como as novas tecnologias poderão impactar o negócio. Entender o contexto e as rupturas que surgirão é essencial para definir onde a companhia quer e pode chegar.

Na prática, trata-se de um exercício de futurologia: imaginar um cenário posterior e traçar um plano para, partindo das condições do presente, alcançar esse alvo.

2. Invista em uma mudança cultural

Porém, não basta criar planos ousados no papel quando, no dia a dia, os envolvidos no projeto não compram a ideia. Sem alterar a cultura dos seus stakeholders, essa revolução pode ser facilmente abandonada.

Deixar a comodidade e a segurança da zona de conforto exige uma verdadeira mobilização cultural. Sem dar a devida atenção a esse preparo, todo um projeto de transformação digital pode ser frustrado devido à falta de adesão ou medo de arriscar.

3. Promova o desenvolvimento de habilidades

As dificuldades técnicas estão entre os principais fatores de impedimento para o sucesso na implantação de inovações. Para não iniciar um processo e abortá-lo por falta de condições de levá-lo ao ponto de resultados, invista na capacitação da sua equipe.

Treinamento e qualificação constantes são essenciais para que as soluções sejam planejadas e executadas com a devida eficácia. Crie um plano para que o seu time desenvolva as habilidades necessárias para conduzir essa transformação. Isso não é custo, e sim investimento!

4. Avalie os processos

Pode ser que, por costume ou tradição, alguns processos de sua empresa aconteçam da mesma maneira há anos. Mas será que as etapas seguidas hoje ainda são realmente necessárias?

A única maneira de descobrir isso é avaliando processos. Analise seu ciclo de produtos, os procedimentos de venda e outras operações. Verifique se algumas delas podem ser adaptadas para mobile ou incorporar novas tendências, como a automação.

5. Renove algum fluxo baseado em tecnologia e experiência do usuário

Embora a transformação digital não se limite à experiência do usuário, esse é um bom ponto de partida para a iniciativa. Após repensar os processos, escolha um deles e teste opções que, utilizando a tecnologia, sejam capazes de melhorá-la.

Teste algumas possibilidades e avalie seu impacto no fluxo das operações. Entenda como funciona o processo de aceitação, implementação e adaptação. Essa análise servirá como base para inovações mais significativas.

6. Comece um projeto digital

Mas a automatização de processos é apenas o ponto de partida. O objetivo final é a transformação — de processos, de modelos de negócios e até mesmo da experiência do cliente.

Todos esses fatores serão revolucionados pela exploração intensa da tecnologia digital disponível. Os objetos e o mundo físico serão substituídos por opções digitais.

Um exemplo é a virtualização de serviços. Hoje as empresas não precisam mais investir em servidores, roteadores, racks ou manter grandes equipes para a manutenção dessas estruturas.

Elas podem contratar virtualmente esses itens e ter seus aplicativos funcionando em nuvem. Os provedores de Cloud Computing oferecem esses serviços a um custo menor e ainda garantem atualização e eficiência.

Trata-se de uma nova maneira de interagir com funcionários e clientes, ancorada na experiência digital.

7. Engaje toda a companhia no projeto

Não é porque a revolução é digital que ela deve ser delegada à equipe de TI. Se a ideia é que a tecnologia permeie todos os processos, é preciso que a totalidade dos colaboradores e setores façam parte dessa transformação.

É fundamental que haja um diálogo entre o setor de TI e os outros departamentos. Os magos da tecnologia precisam conhecer exatamente quais são os processos e a demanda do dia a dia para que, em conjunto, planejem estratégias para digitalizá-los.

8. Digitalize a inteligência do negócio

Por muito tempo, a tecnologia foi vista como um meio de otimizar as operações de uma companhia. Automatizar processos, reduzir erros e custos, registrar e integrar dados, organizar a logística.

No entanto, hoje a tecnologia tem aplicações muito mais inteligentes. Ela não pode ser vista apenas como um auxílio operacional ao negócio, mas em uma ferramenta fundamental para a gestão e tomada de decisões.

A condução baseada no feeling ou experiência dos gestores, embora tenha sido a melhor opção ao longo de décadas, ainda é suscetível a erros de percepção e alterações bruscas do cenário econômico.

Atualmente, há ferramentas de Big Data e Business Intelligence capazes de processar um grande volume de dados internos e externos. Desta forma, elas desenham cenários e preveem não só tendências, mas comportamentos do mercado.

Embasada nesses dados, a gestão também se torna digital e pode tomar decisões muito mais precisas. É como orientar os rumos da empresa já sabendo o que vai acontecer no futuro e, por isso, com maiores chances de sucesso.

9. Explore ideias

A transformação digital vai além de “pensar fora da caixa” — é jogar a caixa fora e construir um novo conceito! E isso não se faz sem explorar e apoiar novas ideias.

Por isso, a companhia precisa incentivar iniciativas como Labs e eventos de brainstorm. Junto com a área de negócios ou consultorias especializadas no desenvolvimento de produtos e serviços, deve haver espaço para prototipar, testar, aperfeiçoar e escalar inovações.

A sua empresa está se preparando para dar esse salto rumo ao futuro? Gostou desse conteúdo? Deixe o seu comentário!

4 Comments

  1. Pingback: Inteligência de mercado: traga o Business Intelligence para o seu lado

  2. Pingback: O que é Market Share? Entenda o conceito e inove para sobreviver!

  3. ola tenho um canal no you tube, e eu gostaria de falar no canal sobre a tecnologia. coisas inovadoras, e gostaria de uma fonte onde me forneça conteúdos novos para o canal. e eu gostaria de saber se você pode me fornecer informações diariamente. sendo assim o seu site seria divulgado no canal e assim você sairia no lucro e eu também

Escreva um comentário

CADASTRE-SE PARA FICAR POR
DENTRO DAS NOVIDADES DA POSITIVO.

Share This